25/11/2015

6 milhões de mortos no Congo ignorados por toda a Comunicação Social

Um genocídio está a acontecer na República Democrática do Congo (RDC). Mais de 6 milhões de pessoas (das quais metade são crianças com menos de 5 anos!), foram massacradas, sob uma indiferença geral e com o apoio dos Estados Unidos e da Europa!

Centenas de milhares de mulheres e de raparigas foram violadas e mutiladas pelas tropas de ocupação. Isto com o único objectivo: para se apoderarem das riquezas minerais excepcionais que se encontram no subsolo do país...

 

Em pleno centro de África, o Congo é um país rico, cheio de matérias-primas (diamantes, ouro, estanho, gás, petróleo, urânio, acrónimo de colombite-tantalite…), florestas, água, mulheres e homens, múltiplas tribos reunidas numa nação desenhada por colonos, e que corresponde historicamente a nada. No seguimento do genocídio no Ruanda, os países vizinhos aproveitaram-se da incerteza político-institucional do Congo (país limítrofe do Ruanda), para atacar, de todos os lados, este gigantesco país cheio de tesouros.

E qual a reacção dos Ocidentais face a isto? 

A culpa dos dirigentes americanos e europeus quanto ao genocídio da Ruanda, levou-os a optar por uma politica pró-Ruanda, deixando os rebeldes Ruandeses passar para o Congo, livremente, e podendo fazer o que querem, ajudados pelos aliados da Uganda e do Burundi…

É imprescindível salientar que as numerosas riquezas naturais da RDC são vitais para as economias ocidentais, especialmente, para os sectores automóvel, aeronáutico, espacial, a alta tecnologia e a electrónica, a joalharia… O acrónimo de colombite-tantalite sobretudo (o Congo que possui pelo menos 60% dos recursos mundiais), é essencial no fabrico dos componentes electrónicos que encontramos nas televisões, nos computadores, nos smartphones mas também em certas armas com o os mísseis! A RDC sofre, igualmente, de um desflorestação maciça. E quais são os principais importadores? Os EUA, a Europa, a China, nada de surpreendente.

Como os conflitos parecem ser internos, dizendo unicamente respeito à África, ninguém pode acusar os EUA e as outras potências ocidentais, por se aproveitarem dos recursos e das riquezas do Congo, uma vez que não têm uma intervenção directa. Não há dúvida, que é muito mais prático deixar os povos matarem-se entre si. Em paralelo, os EUA apoiam as ditaduras que se sucedem no Congo e as milícias da Ruanda e da Uganda. É uma maravilha.

A pobreza mantida e as condições de vida miseráveis, as violações constantes (quando a taxa de SIDA é superior aos 20%, nas províncias a Leste do país), a deslocação da população, os ultrajes, as epidemias, etc. Trata-se de uma estratégia de desumanização usada para tornar as vitimas impotentes. Não existem palavras suficientemente duras para descrever esta terrível situação.

Serão os dirigentes ocidentais tão sedentos de riqueza, ao ponto de não intervir num novo genocídio? Sim! Aliás, não só não intervém, como escondem esse genocídio, ajudam com armas e permitem a observação dos treinos militares realizados pelas nossas elites. 

Uma coisa é certa: o que se passa no Congo, dos negócios político-económicos ao genocídio, nada é determinado, unicamente, pelos Congoleses, tendo as potências da carnificina, ávidas de riqueza e sem consideração pelos povos, um papel determinante.

A situação no Congo será resolvida pelos Congoleses, desde que a comunidade internacional pare de apoiar os Ruandeses, os Ugandeses e todas as milícias que perpetuam este estado de guerra insuportável. Ao apoia-los, a comunidade internacional está a permitir-lhes a tomada das riquezas de um país, sem qualquer justificação. 6 milhões de mortes, metade das quais, eram crianças pequenas. O mundo que se diz «livre» - ou seja, nós - tem a obrigação de encarar o que essa «liberdade» deixa acontecer. Porquê tanta violência e tão pouco barulho por parte dos meios de comunicação?
 
Será que é suficientemente interessante para o Francês médio? Não será suficientemente sensacionalista, este massacre que se conta em milhões de pessoas? Será que é muito longe de «vossa casa»? Aplicam, mais uma vez, esta odiosa «lei da proximidade»? Qual o motivo da inexistência de reacção? Não há qualquer impacto no imaginário colectivo? Nenhuma indignação? Nenhuma cólera? Nenhuma emoção?

A nossa obrigação como cidadãos do mundo é, portanto, de fazer circular esta informação, para que o mundo saiba, antes que algo mais aconteça. Existem culpados tanto em África como na Europa. O silêncio dos poderosos mata tanto como o barulho das metralhadoras. Ponhamos os assassinos face às suas responsabilidades.

Como podem 6 Milhões de mortos serem absolutamente silenciados, sem qualquer repercussão mediática?
 
Nas cinzas do genocídio ruandês, a segunda guerra do Congo rebenta em 1998, na região dos grandes lagos, a Este do Congo. Através da acção de cerca de trinta milícias locais, nove países Africanos estão directamente envolvidos: a Angola, o Zimbabué, a parte sul da Namíbia, o Ruanda, o Uganda, o Burundi, o Congo, o Chade e a parte Norte do Sudão.
Esta guerra do Congo está marcada: pelas sequelas do genocídio ruandês, pela fraqueza do Estado congolês, pela vitalidade militar do novo Ruanda, pela sobrepovoação da região dos grandes lagos, pela permeabilização das velhas fronteiras coloniais, pela intensificação das tensões étnicas devidas à pobreza, pela presença de riquezas naturais, pela militarização da economia informal, pela procura a nível mundial de matérias primas minerais, pela procura local de armes e pela impotência das Nações Unidas.

O balanço é pesado: 6 milhões de mortes, próximo dos 4 milhões de deslocados, campos de refugiados saturados e centenas de milhares de pessoas empobrecidas. As populações não morrem debaixo de fogo. Elas morrem, maioritariamente, de doenças e de fome. As armas de guerra são a violação e a destruição do tecido social.

Para a exploração do acrónimo de colombite-tantalite, esgota-se as populações locais, empobrecendo-as, violando-as, incitando-as a ir embora. Destruindo, para esse fim, as infra-estruturas sanitárias, transformando, assim, a mais pequena patologia mortal. O acrónimo de colombite-tantalite é um cascalho preto que se encontra na lama e que possui um poder económico muito pesado. 80% das reservas mundiais estão na RDC. O acrónimo de colombite-tantalite contem tântalo e todo o planeta quer. Trata-se de um elemento químico adaptado às superligas da indústria da aeroespacial e aos condensadores no domínio da electrónica. Indispensável na produção de tablets e smartphones.

A debandada a volta do acrónimo de colombite-tantalite é organizada pelas grandes multinacionais longínquas, pelos mafiosos e pelos ditadores dos países vizinhos.

Os agricultores da província de Kivu são perseguidos, caçados. A militarização da economia gera a comercialização da violência. As milícias propõe os seus serviços para aterrorizar, torturar, violar. O ódio étnico é exposto, como numa montra, para justificar as acções, mas é só areia para os olhos. A realidade é outra, a violência atende à concorrência comercial.

O historiador David Van Reybrouck, num Opus admirável que se dedicou ao sujeito «Congo» chez actes sud, descreve os mecanismos da região e admira-se com o facto de 6 milhões de mortos não ter qualquer cobertura mediática e nem provocar qualquer indignação popular.

«Ela desapareceu da actualidade mundial porque era inexplicável e confusa. Para cobrir guerras, o jornalismo recorre a um enquadramento de referências morais, nesta guerra do Congo não há um lugar dedicado aos bonzinhos».

E quando, com alguma regularidade, uma reportagem vem descodificar esta guerra, não tem eco, não há nenhuma reacção da opinião pública, é o silêncio da comunidade internacional. Ninguém quer saber e todos se acomodam.

(isto nunca será foto de capa do jornal Libération, não sonhem…)


Fonte: Traduzido pela equipa do RiseUP Portugal 
(Trad: M Rosário S; Revisão; Cristina Cidade (AT))

em baixo a reportagem "Crise no Congo - A Verdade Exposta", legendado em português


55 comentários:

  1. Estou incrédula! Como é possível? O que é isto? :(

    ResponderEliminar
  2. Vergonha para a Humanidade. A ONU deveria ter vergonha por existir e por não anunciar ao mundo tal bestialidade, ainda que fosse uma tentativa inócua de chamar a atenção para o problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente.
      A ONU não está desempenhando seu papel.

      Eliminar
    2. Possivelmente a ONU também é controlada pelo capital...

      Eliminar
    3. Um dos dirigentes da ONU foi assassinado também, ao tentar combater esse genocídio no início, na década de 60. No filme Jadotville, mostra, o quanto o país é tomado por mercenários pagos pelos políticos para manter a matança, atacando forças da ONU em missão de paz.

      Eliminar
    4. A ONU atualmente não tem metade da força política que tinha há 20 anos.

      Eliminar
  3. Vergonha para a Humanidade. A ONU deveria ter vergonha por existir e por não anunciar ao mundo tal bestialidade, ainda que fosse uma tentativa inócua de chamar a atenção para o problema.

    Felício Singillo Neto - São Paulo - Brazil

    ResponderEliminar
  4. Vergonha para a Humanidade. A ONU deveria ter vergonha por existir e por não anunciar ao mundo tal bestialidade, ainda que fosse uma tentativa inócua de chamar a atenção para o problema.

    Felício Singillo Neto - São Paulo - Brazil

    ResponderEliminar
  5. Vergonha para a Humanidade. A ONU deveria ter vergonha por existir e por não anunciar ao mundo tal bestialidade, ainda que fosse uma tentativa inócua de chamar a atenção para o problema.

    ResponderEliminar
  6. Gostava de saber a opinião dos culpados sobre estes e mais comentários. Como nos responderiam?....

    ResponderEliminar
  7. tão triste , compartilhei no facebook acho que tudo isto tem que ser divulgado até a exaustão.

    ResponderEliminar
  8. GENOCÍDIO NO CONGO

    Me parece que a linha a ser seguida pelos comunicadores interessados em divulgar o que se passa na África, seria a decodificação das empresas econômicas envolvidas, suas relações umas com as outras e dos setores uns com os outros.

    Guerras étnicas não fazem mais sentido. O mundo é outro. Por quê, no entanto, a África persistiu tribal nos moldes paleolíticos, isto é, Na disputa crua entre etnias e folclores? quando o mesmo não aconteceu na América,que foi conquistada (e totalmente) muito mais tarde?

    Suponho que uma as causas seja a persistência dos sistemas sociais primitivistas, suas crenças anímicas, e a ausência de formação de identidades culturais comuns que poderiam dar origem a nações unificadas e soberanas.

    Outras razões: os europeus (e também os árabes) nunca se preocuparam em conquistar as terras, ou torná-las províncias ou estados associados, mas simplesmente se ocuparam em saquear suas riquezas, e apresar escravos.

    Não houve transferências culturais de um lado a outro. Mesmo em termos religiosos (missionários) isso se deu em tempos bastante mais recentes.

    Refiro, certamente, ao vasto território que se chama vulgarmente´"áfrica negra", ao Sul de países e impérios da Antiguidade, como Egito e seus vizinhos, ou as regiões com decidida influência islâmica,q ue tendeu para a organização estatal (monárquica ou republicana) e uma certa unidade ou tentativa de unificação das populações nesses territórios..

    Em tempos bastante recentes, houve a preocupação em ocupá-lo nos moldes da América: Africa do Sul e Rodésia, se não me engano.

    O coração-da-áfrica não interessou ao colonizador. Talvez por sua população muito numerosa, talvez pela heterogeneidade de línguas e tribos - permaneceu o saque simples.
    Tribos primitivistas não têm identidade nacional, agem pelo interesse direto, e são presas muito fácil para quaisquer aventureiros e oportunistas.

    E as religiões anímicas desempenham também seu papel nisso, uma vez que a multiplicidade de deuses e panteões impede que haja uma autoridade central máxima, a quem todos deveriam respeito e obediência. Seus deuses também fazem parte de tribos e guerreiam entre si. Essa pode ser uma das explicações étno-culturais pelo específico africano.

    Tampouco o sacrifício de inocentes é de surpreender. A valorização da criança e da infância só aconteceu em tempos históricos, e por razões ético-filosóficas, ou determinação das religiões reveladas, judaísmo, cristianismo, islamismo, e talvez outras religiões do mesmo teor, isto é, de buscar uma diretriz ética para o comportamento humano, pregando a colaboração, a solidariedade e a proteção dos mais fracos.

    Esse credo é um credo moderno (em termos). Sem essa elaboração religiosa, ou filosófica, a morte do filho do inimigo o enfraquece - e é muito mais fácil de atingir, assim como as mulheres grávidas do inimigo.

    Hoje, porém, o lado branco, eurogenético, age com muito mais malandragem e premeditação. Interessa-lhe incentivar o caos social nos terrenos que não pretendem ocupar em definitivo, mas apenas saquear, ou usar seus habitantes como cobaias ou mão de obra mercenária e/ou escrava.

    Assim que, hoje, não se deve buscar os nomes dos culpados entre políticos profissionais ou páises em si (as populações nem ficam sabendo o que acontece lá fora), mas de representantes das corporações.

    Quais as empresas que disputam (ou dividem irmãmente) o saque do Congo?

    Tania Jamardo Faillace
    jornalista e escritora de Porto Alegre, RS - Brasil

    ResponderEliminar
  9. Asperbrás, Rondonia PWC,Camargo Correia, Teias incomensuraveisdedicadas ao saque a troco de pouco mais do que pseudo desenvolvimento, atento que estes nomes são apenas um exemplo acronimo daquilo que realmente se passa, e eu estive lá vi com os meus olhos e posso tetemunhar estasbarbáries.

    ResponderEliminar
  10. Hoje tive a honra de poder assistir, em França, a uma conferência de uma activista do Congo: Justine Masika Bihamba que, relatou as atrocidades que sofrem, sobretudo, as mulheres e as crianças.

    ResponderEliminar
  11. QUEREM SILENCIO. EU DIGO NAO! ESTA NA ALTURA DE EXPOR...PARTILHADO PARTILHADO! O MUNDO MERECE SABER O PORQUE DESTE SILENCIO E DE PREFERENCIA A VERDADE.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chiedete al papà di aiutare a questi vicini e de parlare di questo

      Eliminar
  12. Sinceramente não tenho pena nenhuma , á 45 anos atrás os paises africanos quiseram quem lhes deu tudo fora de lá , infraestruturas contruidas pelos portugueses que eles destruíram nos anos seguintes ao abandono por parte dos colonos.
    Sem respeito por nada !

    Apesar do congo nunca ter sido uma colonia portuguesas é mais um exemplo de que os habitantes do continente africano não são dignos de preocupação pela parte das nações europeias.

    Quiseram Independência?
    Optimo , nós Europeus demos o que eles criam.

    Têm mais que recursos suficientes para se auto sustentarem e são muito mais ricos que muitas nações Europeias.

    Sinceramente não acho que eles mereçam qualquer tipo de esforço da nossa parte para impedir os problemas do continente deles.

    Ingratidão fica marcada !
    Acho que está aqui a resposta ao qual o porque de a ONU nem se preocupar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora eu ache que os países africanos têm realmente muitos problemas, e que os seus líderes deviam repensar as suas políticas e formas de governação, acho que é preciso ser muito ignorante daquilo que foram as práticas e formas do colonialismo, e do que são hoje as práticas e políticas dos ricos contra os pobres, para fazer um comentário tão tristemente racista.
      Sim, é verdade que os africanos, queriam (e não criam) a independência, muitos até morreram por ela; sim é verdade que os europeus - COLONOS - deixaram edifícios, estradas,etc. Embora insuficientes, deixaram algumas infraestruturas. Mas também é verdade que deixaram imensa ignorância, iliteracia, tribos divididas, opressão e repressão, muita miséria e por isso uma grande incapacidade de saberem ser livres. Podemos e devemos responsabilizar os africanos pelo que acontece agora nos seus países, mas não podemos nem devemos esquecer, que muito do que acontece por lá é resultado da antiga presença dos europeus e das actuais políticas e interesses dos países ricos (Europa e EUA, principalmente) perante as reservas de riqueza dos países pobres, de África e não só. E não me vou alongar mais, porque esse tipo de discurso é realmente de uma ignorância e de um baixo nível que não merece mais tempo. Vá informar-se e estudar um pouco de história e, já agora, de português também.

      Eliminar
    2. Quando escrevi a minha resposta anterior a este comentário ignóbil, ainda não tinha visto o vídeo. Precipitei-me! Achei que o seu problema era só ignorância e racismo. Mas não! Agora que vi o vídeo do princípio ao fim, não me restam dúvidas: VOCÊ É UM MONSTRO. É UMA CRIATURA MAL AMADA. CERTAMENTE É NEONAZI. Ironicamente, é também por causa de gente como você que desgraças destas acontecem a toda a hora em África, mas também noutras partes do mundo. Tenha cuidado, o mundo está a mudar muito rápido e não propriamente para melhor. Tem certeza que na sua fantástica Europa Altruísta não vai ser violada/o; estuprada/o; humilhada/o, coisificada/o ao virar da esquina e que isso nunca vai acontecer aos seus entes-queridos.Veja se se enxerga. Estamos no Séc.XXI! O seu comentário faz-me ter vergonha de poder estar aqui a escrever isto.

      Eliminar
    3. Entendo seu comentario; mas procure saber mais!!! também tive que "fugir" de Africa há 40anos ( faço minhas as palavras do sr UNKNOWN . Só que o "povo" africano pensou que sem os "brancos" iam ser "livres" ... afinal não são - Claro que aqui os comentadores, nenhum sabe das barrigas de brancas que foram abertas . dos paus enfiados... atras e á frente a homens e mulheres...(incitados pelos nativos Congoleses) e mais não adianto... é só um levantar um véu para quem " nos lê compreender nossa frieza" embora doa ver as crianças sofrerem.. isso sim sangra o coração Quem não esteve no meio do terrorismo que limite comentário injuriosos Perguntem a quem lá esteve... Sr/Sra TrocarIdeias ... eu e Unknown sofremos com o terrorismo em Africa entre anos 61 e 75 minhas mãos tremem só de lembrar (nós brancos e alguns africanos..esses tais analfabetos que não percebiam nada do que se passava) E voce insulta quem sofreu tanto na pele chamando de MONSTRO, MAL AMADA (?), NEONAZI ???? Veja no Youtube sobre o terrorismo em Angola(onde começou) India Guiné Moçambique Informe-se sobre a REVOLUÇÃO DE ABRIL ...e o porquè... sim a dos CRAVOS !!! Agora sou eu quue lhe digo :"" TENHA CUIDADO EM INSULTAR AS PESSOAS""" Sr/Sra cresça e apareça e que Deus lhe perdoe .. Faça um acto de contricção busque informação e não se atreva a insultar a alguém que se falou assim DEPOIS de 40 ANOS já tem muitos anos e passou por muitos INFERNOS . Tenho de parar minhas mãos tremem e meu coração bate muito...lágrimas... já não tenho --- TrocarIdeia fique na Paz e no Bem

      Eliminar
    4. Para si isto deve ser uma coisa normal,pois se culpa os angolanos,moçambicanos, guineenses e outros que foram invadidos por portugueses por causa das riquezas naturais da terra! Acredito que coisa boa não fez por lá! Foi só mais uma oportunista egoísta que foi à procura de tacho à custa de sangue suor e lágrimas de outros. Devia era ter vergonha do seu passado. As mãos devem lhe tremer mas era de arrependimento pelas atrocidades que tenho a certeza que fez por lá por ganância! Tenha mas é vergonha na cara

      Eliminar
    5. Para si isto deve ser uma coisa normal,pois se culpa os angolanos,moçambicanos, guineenses e outros que foram invadidos por portugueses por causa das riquezas naturais da terra! Acredito que coisa boa não fez por lá! Foi só mais uma oportunista egoísta que foi à procura de tacho à custa de sangue suor e lágrimas de outros. Devia era ter vergonha do seu passado. As mãos devem lhe tremer mas era de arrependimento pelas atrocidades que tenho a certeza que fez por lá por ganância! Tenha mas é vergonha na cara

      Eliminar
    6. Caro anonimo, vá a um médico - você tem um serio transtorno mental.

      Ninguem merece ser massacrado e é da natureza de qualquer pessoa sã compadecer-se com o sofrimento dos outros.

      E aproveite para informar-se, antes de dizer tamanha imbecilidade.

      Eliminar
    7. Fati Cris, o mal que fizeram aos colonizadores não faz melhor o mal que se pratica hoje. Saia desse ciclo mesquinho.

      Entendo o seu sofrimento, terá vivido coisas horriveis. Mas por dificil que lhe seja pensar sobre isso, estou certo que saberá o motivo real das coisas e que gostaria de que não se perpetuassem sobre outros os horrores que viveu.

      Eliminar
  13. besta anónima cretina, não sabe ao menos o que é ter vergonha?
    é por existirem pessoas como você que os congoleses e todos os povos que estão a viver este e outros horrores passam pelo que estão a passar.
    tente ter algum juízo e peça às pessoas que lhe são próximas que o ajudem a tratar a sua insanidade mental monstro patético!
    Maria Amélia Albuquerque

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não seja assim .... vc. veio de África?? Viveu lá o terrorismo?

      Eliminar
    2. COMEÇOU ASSIM :

      https://youtu.be/LwZuNOrHn8I

      Eliminar
  14. Certos comentários aqui são desnecessáriosó. Só faz comentários parvos que nunca sentiu na pela a guerrà...Falta de sensibilidade .Por amor de deus

    ResponderEliminar
  15. Certos comentários aqui são desnecessáriosó. Só faz comentários parvos que nunca sentiu na pela a guerrà...Falta de sensibilidade .Por amor de deus

    ResponderEliminar
  16. FIQUEI CHOCADA POR NÃO SABER NADA SOBRE ESSA TRAGÉDIA , E LER ALGUNS COMENTÁRIOS TÃO DESUMANOS !!! CADA VEZ MAIS AMO OS ANIMAIS E HOJE SENTI VERGONHA DE SER HUMANA !!!A GANÂNCIA VAI DESTRUIR A HUMANIDADE !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também amo os animais mas sou humano e não me demito das minhas responsabilidades...

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  17. para TROCARIDEIAS = TrocarIdeias ( e para quem quizer ...)

    https://youtu.be/LwZuNOrHn8I


    ResponderEliminar
  18. Acreditem em deus , qe mais depressa aparece o diabo para vos lixar do q deus , deixem se de Tretas , se deus existisse acham mesmo que estas coisas aconteciam ? Abram os olhos , quem no salva somos nós próprios, o diabo é o humano , e se isto acontece na África , a culpa é de todos , tanto europeus, americanos , etc por quererem usufruir das riquezas e os africanos por lutarem uns contra os outros em vez de abrirem os olhos unirem se, lutar contra os que lhes querem roubar as riquezas do seu próprio país, e se África tá assim é mesmo porque SAO BURROS, doa países mais ricos em termos de riquezas naturais , pq então não investiram e tornaram um país melhor ????? CHAMA SE BURRICE E IGNORÂNCIA meus amigos , se algo desse género acontece agora , a culpa é mais doa africanos por serem burros nesses aspectos que destaquei ;)

    ResponderEliminar
  19. tb já partilhei. tem q se fazer alguma coisa!

    ResponderEliminar
  20. Tantas atrocidades a decorrer por esse mundo fora... :'(

    ResponderEliminar
  21. A change has to be made. This can not be ignored

    ResponderEliminar
  22. A change has to be made. This can not be ignored

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  24. Minha solidariedade a quem traz na alma as marcas dos horrores de guerra ,seja ela qual for.....Mas pelo amor de Deus SOMOS HUMANOS(?)! Estou horrorizada!!!Pare o mundo que eu quero descer!!!!.....

    ResponderEliminar
  25. Já partilhei,isto é uma vergonha para a Humanidade no sec XXI.

    ResponderEliminar
  26. No texto acima, onde se lê "acrónimo de colombite-tantalite", devia ler-se "Coltan, acrónimo de colombite-tantalite". Nas frases seguintes, bastaria escrever Coltan...
    Se pagarem qualquer coisita, eu posso integrar a equipa como revisor de textos.

    ResponderEliminar

  27. Quando você mata dez milhões de africanos, você não é chamado de “Hitler

    https://muitoalemdoceu.wordpress.com/2014/01/13/quando-voce-mata-dez-milhoes-de-africanos-voce-nao-e-chamado-de-hitler/

    ResponderEliminar
  28. é que os congolesses sao negros, não sao europeus brancos, não sao judeus, senão já estariam milhoes de pessoas dizendo"Je Suis Congo"

    ResponderEliminar
  29. A mídia sempre navega pela sua nada ética conveniência.
    Aqui no Brasil, além de outros assuntos, também não deram a importância devida ao crime de terrorismo biológico praticado contra o povo da Região Cacaueira da Bahia a partir de 1989, quando a doença vassoura-de-bruxa foi ali introduzida criminosamente. O evento gerou danos de proporções catastróficas, comprometendo 600 mil hectares de plantações de cacau, desemprego quase trezentas mil pessoas, causou o êxodo rural de aproximadamente um milhão de homens, mulheres e crianças que moravam nas fazendas, forçou a derrubada de milhões de árvores do bioma Mata Atlântica. Um crime contra a humanidade que a imprensa ignora até hoje. Os detalhes podem ser vistos no documentário "O NÓ: ATO HUMANO DELIBERADO" 2012/70min.
    https://youtu.be/_0mPiYocm-4

    ResponderEliminar
  30. ESTA A MAIOR VERGONHA DA RAÇA HUMANA DOS ÚLTIMOS TEMPOS...........O OCIDENTE E OS PAÍSES QUE PODIAM TRAVAR ESTA DESGRAÇA NADA FAZEM...SÃO UNS COBARDES MISERÁVEIS..!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  31. Como sempre os leigos pondo culpa nos EUA, os capitalistas "malvadões". É uma solução simples da esquerda, transferir sua imcompetência para os outros. Todos os estados da África estão entre os mais fechados do mundo, sendo assim é ilógico pensar que o comércio não seja regido por carteis e milícias, tudo respaldado pelos governos locais. E parem com o mimimi de riquezas naturais, tudo aquilo não vale nada se não existe comércio para o "explorar". Diamante é só uma pedra, petróleo só é útil quando pode ser transformado para ser usado, ou seja, absolutamente nada daquilo é riquezae não enrriquecendo ninguéma a não ser os membros do governo. A Coreia do Sul, 1950, era mais pobre que a Nigéria, e sabe qual o recurso natural mais abundante de lá? Coreanos. Recursos naturais não enrriqucem a população, o que enrriquece é o comércio. Nenhum Europeu, nehum americano tem nada a ver com tais guerras pois você nasceu no seu pais e nunca matou ninguém, você, individualmente, paga suas contas e tem seu problemas. Quer acabar com as guerras na África? É só os governos pararem de intervir e deixar o mercado enrriqucer a África, da mesma forma que ela enrriquecia na década de 60, porém, a preferiram guerras ao invés de fazer comércio, resultado no retrocesso de tudo o que foi conquistado na época.

    ResponderEliminar
  32. O Sr. Pericles já referiu, mas como entretanto nada mudou explico melhor.

    Esta gente realmente não percebe o que escreve. Cria a confusão e a má informação. Compreendo que estas coisas não são simples. Vou usar um exemplo com PALOP.

    Estas coisas têm uma boa e louvável intenção, mas depois quem as escreve, fica-se com a ideia que realmente não sabe o que está a dizer e tira todo o impacto.

    PALOP é o acrónimo de "países africanos de língua oficial portuguesa". Correcto.

    A palavra acrónimo está lá para informar que a palavra se formou, neste caso, pela junção das primeiras letras. Não se pode substituir num texto PALOP (com ou sem s) por "acrónimo de países africanos de língua oficial portuguesa".

    Posso dizer "membros dos PALOP reuniram-se em Luanda". Posso dizer "membros dos países africanos de língua oficial portuguesa reuniram-se em Luanda". Posso dizer "membros dos PALOP (países africanos de língua oficial portuguesa) reuniram-se em Luanda".

    Até posso dizer, embora não ache muito elegante, "membros dos PALOP (acrónimo de países africanos de língua oficial portuguesa) reuniram-se em Luanda".

    Mas todos iremos concordar que dizer "membros do acrónimo de países africanos de língua oficial portuguesa reuniram-se em Luanda" um sem sentido, um disparate.

    Exactamente como dizer "... a exploração do acrónimo de colombite-tantalite, esgota-se as populações locais..."

    ResponderEliminar