21/12/2015

Um Documentário sobre a Revolução na Islândia

Este é um tema que não dá jeito ser abordado pelos maiores orgãos de comunicação social por motivos óbvios. 

Enquanto em Portugal e no sul da Europa se espalhava a ideia da austeridade como sendo algo inevitável, no pequeno país da Islândia, a solução encontrada foi outra completamente diferente, resistindo ao clima de medo e chantagem imposto pelas mais variadas instituições internacionais.


O pagamento das dívidas dos Bancos pelos cidadãos foi a referendo e o Governo foi obrigado a criar um Conselho para redigir uma nova Constituição: um grupo de cidadãos (sem políticos, advogados ou professores universitários) submeteu a iniciativa à discussão da população, conseguindo aprovar a proposta por consenso. Na Islândia, muitos cidadãos organizam-se agora em associações e têm propostas substanciais para uma sociedade onde todos podem participar. Entretanto 26 banqueiros e agentes financeiros foram condenados a penas de prisão por delitos relacionados com a crise, num tempo aglomerado de penas de 74 anos.
 

Neste documentário, entre outras iniciativas, é-nos dada a conhecer a criação de novos movimentos, novos partidos e de uma Constituição colaborativa, que contou com as redes sociais para garantir que toda a população teria um espaço para elaborar as suas propostas.

Em discurso directo, os activistas explicam por que razão deixaram de confiar no sistema político, como se organizaram e que desafios propuseram à sociedade civil e à classe política.

Tachos, panelas e outras soluções - Um retrato da Islândia

 

1 comentário:

  1. MAS EM PORTUGAL ESTA CRISE FOI FEITA EM LABORATÓRIO PARA OS POBRES TEREM DE ACEITAR AS MIGALHAS QUE LHE QUEREM DARE DEPOIS APARECEM COMO SALVADORES

    ResponderEliminar