21/09/2015

O grupo Estado Islâmico é sustentado directamente pela NATO, via Turquia

A cadeia alemã Deutsche Welle (DW) publicou uma reportagem vídeo de capital importância : é, sem dúvida, o primeiro grande meio de comunicação ocidental a admitir que o que chamamos de ISIS (ou Estado Islâmico) é alimentado não pelo mercado negro do petróleo, ou pelos resgates obtidos com raptos, mas por abastecimentos e material equivalente a vários milhares de dólares, transportados todos os dias por camion até à Siria através da fronteira com a Turquia, país membro da NATO.

Esta reportagem, que se intitula 'IS' supply channels through Turkey (Canais de abastecimento do ISIS através da Turquia), confirma o que já tem vindo a ser reportado por diversos analistas políticos desde 2011, ou seja que a Turquia, apesar de membro da NATO, permite a passagem de enormes quantidades de mantimentos, armas e combatentes através da sua fronteira com a Siria, com destino às posições ocupadas pelo ISIS.


Numa cena surrealista da reportagem da DW, podem ver-ser terroristas anti-sírios atravessar tranquilamente a fronteira e, chegados ao lado de lá, serem abatidos por combatentes curdos.

Os habitantes e comerciantes locais entrevistados pela DW admitem que o comércio que tinham com a Siria foi interrompido desde o início do conflito e que os camiões de mercadoria que atravessam a fronteira vêm “do oeste da Turquia”. A reportagem não clarifica o que significa a expressão “oeste da Turquia”, mas é claro que designam Ankara, os diversos portos utilizados pela NATO e, evidentemente, a base aérea da Nato em Incirlik.

Apesar da reportagem da DW afirmar que ninguém sabe com certeza quem está por detrás de todas estas expedições, ficamos a saber que o governo turco nega a existência destes comboios de camions filmados pelos repórteres alemães. É no entanto certo que a Turquia está, não só ao corrente, mas que é directamente cumplice, assim como a NATO, que finge combater o ISIS mas que, até agora, não conseguiu denunciar e erradicar os patrocinadores internacionais do ISIS; e, o que é o mais importante, a NATO recusou cortar pura e simplesmente as linhas de abastecimento do ISIS - o que constitui, no entanto, um dos princípios base de toda a estratégia militar.

Desde o início, por detrás da ameça do ISIS, está a NATO 

Como está explicado desde 2007, os EUA e seus cúmplices na região têm conspirado para utilizar a Al-Qaeda e outros grupos extremistas armados para reorganizarem o mapa do Norte de África e do Médio Oriente.

O célebre jornalista laureado com o prémio Pulitzer, Seymour Hersh, escreveu no seu artigo de 2007 intitulado "The Redirection: Is the Administration's new policy benefiting our enemies in the war on terrorism?": “Para enfraquecer o Irão, maioritariamente xiita, a administração Bush decidiu rever as suas prioridades no Médio Oriente. No Líbano, o governo cooperou com a Arábia Saudita - que é sunita - no quadro de operações clandestinas destinadas a enfraquecer o Hezbollah, organização xiita sustentada pelo Irão.

Os EUA também colaboraram em operações clandestinas visando o Irão e a sua aliada Siria. Um dos efeitos dessas actividades foi o desenvolvimento de grupos extremistas sunitas, que seguem uma visão militante do Islão, são hostis aos EUA e próximos da Al Qaeda.”

Obviamente, o termo “grupos extremistas” que “seguem uma visão militante do Islão, são hostis aos EUA e próximos da Al Qaeda.” designa claramente o Estado Islâmico. O ISIS constitui a força expedicionária de mercenários da NATO, devastando por procuração os seus inimigos, desde a Libia, no Norte de África, até ao Líbano e à Siria, passando pelo Iraque e mesmo nas fronteiras do Irão. O seu fornecimento aparentemente inesgotável em dinheiro, armas e combatentes não se explica senão pela ajuda de diversos países estrangeiros e pela existência de territórios-refúgio que a NATO protege do fogo dos seus inimigos que são a Siria, o Hezbollah, o Irão e o Iraque. A reportagem da cadeia alemã DW evidencia a forma como os terroristas do ISIS escapam regularmente da Siria e encontram refúgio na Turquia.

Um dos principais objectivos da NATO desde 2012 tem sido o de utilizar todos os pretextos possíveis para ampliar estes territórios-refúgio, ou “zonas tampão”, no interior da própria Siria, fazendo-os proteger pelas forças militares da NATO, e a partir dos quais os “rebeldes” podem operar. Se tivessem podido lá chegar, as equipas de filmagem da DW teriam provavelmente filmado estes mesmos comboios de camions, desta feita a atravessar as cidades de Idlib ou de Alepo, e não ao longo da fronteira com a Siria.

Evidenciado o “complot” dos EUA e dos seus aliados com vista à criação de uma força mercenária sectária alinhada com a Al Qaeda, assim como o facto dos chamados “rebeldes moderados”que os EUA têm oficialmente apoiado na Siria não serem mais que extremistas sectários, a reportagem da DW com filmagens dos camions de abastecimento a chegar da Turquia, confirmam, se ainda houvesse alguma dúvida, que a ameaça do ISIS em relação à NATO vem da própria NATO. Isto levanta o véu sobre uma política estrangeira tão incrivelmente traiçoeira que custa a acreditar, mesmo após a divulgação, por grandes “media” como a Deutsche Welle, de imagens mostrando que as vias de aprovisionamento do ISIS provêm de territórios controlados pela NATO.

Publicado por wikistrike.com 
a 3 de Dezembro de 2014

Tradução RiseUp Portugal 

A reportagem da DW encontra-se em baixo,
com possibilidade de accionarem as legendas em português.


14 comentários:

  1. OS USA abusa de tudo e de todos e procede como o bombeiro incendiário que ateia o fogo e depois surge como herói voluntário para apagar o incêndio.Faz o Mal e a caramhunha.

    ResponderEliminar
  2. Alguma hipótese de link para o artigo original. Grato pela atenção.

    ResponderEliminar
  3. Alguma hipótese de link para o artigo original. Grato pela atenção.

    ResponderEliminar
  4. Têm o link para o artigo original? Grato pela atenção.

    ResponderEliminar
  5. Os Estados Unidos estão sempre envolvidos nestas situações, eles querem guerras a todo o custo para justificarem os gastos (problemas) financeiros que eles tem do seu estado, culpa disto é por parte da União Europeia que nunca mais mete um travão a estas porcarias... a UE perde BILIÕES DE EUROS!!! com a porcaria das sanções a Rússia quando esta nunca crio situações de merda de guerra como os EUA, de resto vem com a desculpa da Ucrania? não me lixem os territorios que querem se juntar a Russia é porque a população é maioritáriamente russa e não se identifica como ucraniana... mas andamos melhor a fechar os olhos a esta treta do estado islamico financiada pelos EUA e Israel, sim Israel !!! pois o mais estranho é que eles fazem atentados em França e Bruxelas que ficam a milhares de KM e Israel ali ao lado??? não acontece nada... pois os Israelitas são uns boms islamicos não existe mais duvidas ;) Quando uma europa Nazi se erguer devido aos nossos fracos politicos e devido a população começar a ficar cada vez mais revoltada ... depois não são os judeus são os arabes, pretos, chineses e a próxima merda que inventarem.

    É triste criticarem sistemas politicos comunistas (liberais que não são estalinistas ou soviéticos) e depois cada vez se vê mais a corrupção, frágilidade e futilidade que é o sistema que chamam DEMOCRATICO onde as pessoas continuam a ser controladas e mal tratadas como se fossem só um numero nas estatisticas ;)

    VIVA Á DEMOCRACIA E A PALHAÇADA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você ainda vive na Idade da Pedra !
      Mas adorei essa de "sistemas políticos comunistas liberais" !?!?!?

      Eliminar
    2. Muito bom ��������

      Eliminar
  6. Noticia controversa...mas sabemos que E.Unidos...nao sao inocentes

    ResponderEliminar
  7. É evidente que os Estados Unidos estão metidos em tudo que seja desestabilizador para os outros povos, e isto a nível global. O seu enfoque principal :acesso e controle de matérias primas; venda de armamento seja a quem for, e de que lado estiver; controle de governos;controle do sistema financeiro mundial através de agências e empresas criadas para o efeito; e outras acções, que no fundo são quase do conhecimento geral.E já agora o fornecimento de material militar a Israel; como é possível que um território menor do que o Alentejo, tenha mais armas nucleares do que a França ou a Inglaterra?!Para fazer colonatos não são precisas bombas atómicas, ao que se sabe!

    ResponderEliminar
  8. É começar a matar tudo e todos que pertencem a NATO!

    ResponderEliminar
  9. Faz algum sentido. Alguém, na oligarquia globalista e islâmica mantêm o EI funcionando, até para que o jorro da hégira (imigração) não cesse. Fique atento a artigos onde a palavra Rússia ou russos não estão presentes.

    ResponderEliminar