20/05/2016

Para onde foi o dinheiro dos resgates à Grécia?

Um estudo de dois investigadores alemães conclui que dos 216 mil milhões de euros dos resgates dos últimos seis anos, apenas 9.7 mil milhões foram parar ao Orçamento grego. Ou seja, menos de 5% do total serviu a população, enquanto 95% foi para os cofres dos bancos europeus.

 

O estudo divulgado pelo jornal económico alemão Handelsblatt é da autoria de Jan Hildebrand e Thomas Sigmund, investigadores da Escola Europeia de Tecnologia e Gestão de Berlim. E conclui que a prioridade dos resgates desenhados pelo BCE, Comissão Europeia e FMI foi salvar os bancos e os credores privados, não o povo grego.

“Os pacotes de ajuda serviram em primeiro lugar para resgatar os bancos“, confirma Jörg Rocholl, presidente da instituição e conselheiro do ministro Schäuble. O estudo demonstra que 86.9 mil milhões serviram para pagar dívidas antigas, 52.3 mil milhões foram para pagar juros e 37.3 mil milhões destinaram-se à recapitalização da banca na Grécia.

Embora o dinheiro pago pelo serviço da dívida seja sempre uma despesa de qualquer Orçamento de Estado, a verdade é que a Grécia estava falida desde 2010, destaca o jornal alemão, colocando dúvidas sobre a forma como os resgates foram concebidos.

“A Grécia estaria hoje em melhor posição se tivesse havido um alívio da dívida no início da crise em 2010, muitos estragos teriam sido evitados tanto para a Grécia como para a Europa no seu todo”, afirma Marcel Fratzscher, presidente do Instituto Alemão de Investigação Económica (DIW), ao Handelsblatt.

The Greek bailouts: A Bottomless Pit? https://t.co/6E5aqg8sAZ pic.twitter.com/v3buF9FzXa 

— Handelsblatt Global (@HandelsblattGE) May 4, 2016

7 comentários:

  1. E se o estudo fosse feito sobre os empréstimos feitos a Portugal?
    Será que a conclusão seria semelhante?

    ResponderEliminar
  2. o melhor é abater este ministro de cadeira de rodas, alem disso já deveria estar reformado

    ResponderEliminar
  3. seria muito esclarecedor que o governo portugues promovesse um estudo identico com os valores recebidos da troica de forma a que os pagantes portugueses pudessem saber o destino dos valores em causa.Pelo exemplo da grecia penso que os dinheiros aplicados no resgate de bancos nacionais sera mesmo superior ao da grecia onde superou os noventa e cinco por cento....Talvez a FUNDACAO MANUEL DOS SANTOS possa ajudar a esclarecer este assunto porque do governo nao acredito que o faca....O SR. PRESIDENTE DA REPUBLICA PODERIA TOMAR NAS SUAS MAOS ESTE ESCLARECIMENTO CERTO QUE OS PORTUGUESES LHE AGRADECERIAM.Fica o desafio

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. seria muito esclarecedor que o governo português promovesse um estudo idêntico com os valores recebidos da troica de forma a que os pagantes portugueses pudessem saber o destino dos valores em causa. Evelyn Houard tentou fazer isso, começando por averiguar a legalidade das dívidas que foram apresentadas à tróica, mas não tive o apoio que precisava por obstrução... da mídia que não o: Princípio de auditoria de Cidadâo à Dívida. Mas ainda é possível consolidar o Princípio citado se completarmos o numero de assinaturas exigido.

      Eliminar