20/06/2016

A abolição da tauromaquia é também uma questão de direitos humanos

A abolição da tauromaquia não é apenas uma questão de direitos dos animais, é também uma questão de direitos humanos. Na tauromaquia existem três seres que são sujeitos a uma prática cruel, sanguinária, medieval e dolorosa a todos os participantes: bovinos, equídeos e humanos.
 
Como qualquer outro fenómeno cultural, a violência ritualizada também se ensina e é uma questão de direitos humanos não aceitarmos que as crianças sejam condicionadas para esta actividade, quer como participantes activos, quer como espectadores.
 
O investimento público na tauromaquia é algo que também diz respeito aos direitos humanos. 
 
Por um lado, porque canaliza verbas para uma actividade que beneficia poucos, em detrimento de outras actividades que beneficiam a colectividade, como a saúde ou a educação; por outro lado porque confere apoio institucional a uma prática que tem por objectivo sacrificar animais e, como danos colaterais recorrentes, vitima humanos, sobretudo durante as largadas de touros populares promovidas pelas autarquias. 
 
Estas vítimas humanas sobrecarregam o Serviço Nacional de Saúde através de assistência hospitalar, tratamentos médicos, baixas por incapacidade temporária ou definitiva, pelo que somos todos penalizados. 
 
Todos nós, abolicionistas da tauromaquia - sejamos activos na Internet, em protestos e manifestações na rua, ou na liderança de núcleos e movimentos locais - devemos a esta luta a responsabilidade de a defender sem nunca perdermos a razão. Jamais devemos igualar os comportamentos de quem massacra animais como forma de entretenimento, de negócio ou de estatuto. Não podemos cair na tentação de usar argumentos de apologia à violência, mesmo que em reacção a algo que consideramos ignóbil. Se usarmos o mesmo tipo de abordagem, diferimos apenas naqueles que atacamos. Demonstrarmos satisfação pela morte de um par humano nesta actividade em nada difere dos aplausos a quem lancetou um touro. 
 
Queremos mesmo ser iguais aos que matam e sentem prazer nisso? 
 
Sócia ANIMAL 1348, para o RiseUp Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário