14/08/2015

Cavaco Silva : O FRANKENSTEIN

Desde que esta criatura entrou na cena política deste desgraçado país, rapidamente lhe fizemos o retrato: um economista medíocre, oportunista e saloio - «para sermos modernos temos de ser um país de serviços» - viu-se o resultado.

Não queremos passar por elitistas, defendemos sem reservas que todos devem ter à partida as mesmas oportunidades. Não podemos no entanto esconder que desejávamos que a criatura se tivesse ficado pela bomba de gasolina …… o país teria ganho com isso ! Não se pode dizer que a criatura não pensa. Ele pensar pensa ! Devagar mas pensa ! Se não pensasse seria tudo talvez mais claro.

Ele é a figura ideal para representar, como “símbolo bandeira”, a classe que está no poder. Ela conduz o discurso e ampara-lhe os deslizes. È fantoche que não sabe que é fantoche, mas contente porque vai abichando umas sobras do grande bolo.

Para mal do povo é a figura ideal para vender à classe média embrulhado em papel de seriedade, rigor e sentimentos caseiros, homem comum que sobe ao topo por mérito próprio…. para presidente da república.

A maioria dos votantes escolheu um homem que se revela um típico português sim, mas só com tudo o que o português tem de mau : fanfarronice cautelosa, hipocrisia calculista, oportunismo desmedido, diplomacia de sobrevivência.

Das coisas boas, como por exemplo humor e veia poética, nada ! Para símbolo não serve. definitivamente não representa o povo português !

INFRACÇÕES Luísa e José

Sem comentários:

Enviar um comentário