22/09/2015

Arábia Saudita, no painel de direitos humanos da ONU

A Arábia Saudita, campeã das decapitações, chicotadas e enforcamentos em sessões públicas no Médio Oriente, e onde as mulheres não podem conduzir, foi nomeada para estar no painel de direitos humanos da ONU.

Num mundo que caminha alegremente e a passos largos para a sua auto-aniquilação, uma nomeação destas não é de estranhar.  

Bem visto, só confirma de facto o estado esquizofrénico a que conseguimos chegar perante a passividade de quase 7 Biliões de pessoas.



Raif Badawi, tinha um blogue. Poucos o conhecem, mas é talvez, um dos que melhor pode atestar o quão tolerantes e respeitadores são os sauditas com aqueles que são a favor da democracia, da liberdade de expressão ou religiosa. 

Entre muitas outras coisas publicou também um "anúncio" de emprego para 8 novos executores, anúncio esse que trouxe muita atenção para tudo o resto que escrevia.

10 anos de prisão e 1000 chicotadas é a tolerância exercida neste tipo de situações lá para aquele reino das arábias. Em Janeiro recebeu as 50 primeiras, desde aí até então têm cancelado, muitas das vezes sucessivamente, as "meias-centenas" previstas devido o seu grave estado de saúde. Só não pode morrer, este não. Tem 10 anos para a receber o castigo e por isso não há pressa.

E o que dizer da perseguição e limpeza das minorias? Dos direitos das mulheres que não existem? Mas nada se compara ás decapitações públicas proporcionadas pela realeza de tão ilustre país. 

O actual rei saudita, Salman bin Abdulaziz al Saud, que herdou o trono no principio do ano depois da morte do seu meio-irmão Abdullah, decapitou logo 3 pessoas nos primeiros 5 dias do seu reinado.A meio deste ano já tinha decapitado 100 pessoas, excedendo em apenas 6 meses, o total de todo o ano de 2014.

Se olharmos, ainda que na diagonal para a Declaração Universal dos Direitos do Homem vemos logo que os primeiros 5 Direitos da carta são violados, direitos esses que foram criados pela organização que integra actualmente para alegadamente defender os direitos que viola. É claro que nada disto seria possível se não existisse promiscuidade com os Estados Unidos, Israel e Europa essencialmente. É o val€ tudo sem dúvida$.

Seja como for e com a esquizofrenia à parte, Bem-vindos à Arábia Saudita, um país verdadeiramente defensor dos Direitos Humanos e onde se podem sentir à vontade para perderem a cabeça, literalmente. 

Ah e é verdade, baniram o Cristianismo. Naquele reino perseguem, prendem e fazem as famosas "execuções secretas" de cristãos. 

E não, não são o ISIS, mas por momentos parecia ...


Links relacionados com a tolerância da sangrenta ditadura saudita :








E um video dos mais recentes bombardeamentos ao Yemen :






 

2 comentários: