13/12/2016

Câmara de Gaia: água a 80 graus destrói Provas de processo judicial


Segundo o Jornal de Notícias, uma inundação terá ontem destruído Provas documentais relacionadas com o processo judicial da Gaianima, empresa municipal de Vila Nova de Gaia.

A água que provocou a destruição das Provas e que estava à temperatura de “cerca de 80 graus” – presume-se que centígrados –  provinha de uma “repartição” selada por ordem do Tribunal e, segundo a notícia, “os documentos destruídos apenas diziam respeito ao processo criminal”. Este aspecto terá “causado estranheza”, ainda segundo a notícia.

Foram “técnicos de uma empresa de ar condicionado que detectaram, cerca das 16h00, a ruptura no sistema de água do Arquivo Municipal de Vila Nova de Gaia” e, segundo relata o JN, que publicou a notícia às 00h30, este edifício “é um dos mais seguros da Câmara”.

- aventar.eu

GAIANIMA - Gestão

Empresa municipal Gaianima foi presidida por Ricardo Almeida quando era líder do PSD/Porto. João Vieira Pinto e Angelino Ferreira eram administradores.

Ex-administradores da Gaianima geriam empresa "como bem entendiam" (8 Set. 2016)

Empresas falidas esbanjam milhões (Novembro 2014)

As empresas municipais GAIANIMA e ÁGUAS DE GAIA já estavam em completa rotura financeira (o passivo actual é de 106 milhões) quando assinaram contratos de comunicação milionários. Gastaram mais de 300 mil euros por serviços das empresas do filho do consultor Luís Paixão Martins e também pelos préstimos dos escritórios lisboetas da Cunha Vaz. Esta é uma das valências que a Polícia Judiciária está agora a investigar.
-

Sem comentários:

Enviar um comentário