01/12/2016

WikiLeaks: Os arquivos do Yemen

Documentos provam que Estados Unidos armaram, financiaram e treinaram forças no Iémen.

A  25 de Novembro de 2016, o WikiLeaks colocou a público  arquivos sobre o Iémen,  mais de 500 documentos da embaixada dos Estados Unidos em Sana’a, no Iémen. Com mais de 200 e-mails e 300 PDFs, ele detalha documentos oficiais e correspondência pertencentes ao Escritório da Cooperação Militar (OMC) localizado na embaixada dos EUA. Os documentos abrangem o período desde 2009 até pouco antes do início da guerra nesse território, Março de 2015, o qual abrange tanto o mandato de Hillary Clinton como Secretário de Estado (2009-2013) como os dois primeiros anos do mandato do Secretário John Kerry.

Refere Julian Assange
“A guerra no Iémen gerou 3,15 milhões de pessoas deslocadas internamente. Embora o governo dos Estados Unidos tenha fornecido a maioria das bombas e esteja profundamente envolvido na conduta da guerra em si, a reportagem sobre a guerra em inglês é notoriamente rara“.
O Iémen ao controlar um estreito estrangulamento no Mar Vermelho e canal de Suez, por onde passam diariamente cerca de 11% do petróleo do mundo, detém um cobiçado e significativo interesse estratégico. Além disso, ao fazer fronteira com a Arábia Saudita (ao norte) e Omã (a leste), tem acesso ao Mar da Arábia, através do qual passam outros 20% do petróleo vindo do Estreito de Ormuz (incluindo o petróleo da Arábia Saudita e Irão).

A Arábia Saudita quer controlar um porto no Iémen, para evitar a potencial constrição dos seus embarques de petróleo pelo Irão ao longo do Estreito de Ormuz, ou por países que podem controlar seu caminho de transporte do petróleo ao longo do Mar Vermelho.

Os arquivos oferecem evidências documentais do armamento, treino e financiamento das forças iemenitas nos anos da construção até à guerra. Revelam, também, as aquisições de diversos tipos de armas: aviões, navios, veículos, propostas de controlo para a segurança marítima e aquisição de sistemas biométricos norte-americanos. 

A presença dos EUA permaneceu no país até Fevereiro de 2015, quando fecharam a sua embaixada devido à contínua agitação entre as diferentes facções do país. A guerra estourou um mês depois.

por Arte da Omissão

Sem comentários:

Enviar um comentário